Sobre

IMGP7157

Oi, gente! Sou Cristiane Soethe Zimmermann, jornalista, mãe do Otto. Depois que eu tive meu filho, em março de 2014, comecei a me interessar cada vez mais por alimentação saudável para crianças, especialmente bebês. Eu e meu marido sempre evitamos comida industrializada e com a chegada do Otto essa nossa filosofia alimentar foi potencializada. Evito ao máximo oferecer qualquer tipo de comida que não seja “de verdade” para meu filho.

Assim como eu, vejo muitas mães se questionando, buscando informações, trocando experiências sobre alimentação para bebês. Por isso resolvi criar este blog, para dividir receitas e inspirações e receber dicas e sugestões de quem quiser compartilhar comigo suas experiências.

Não sou nutricionista e nem especialista no assunto, apenas curiosa sobre saúde e nutrição e busco informações constantes sobre o assunto das mais variadas fontes. Minha intenção não é convencer ninguém. O que eu quero mesmo é compartilhar informação e incentivar as mamães a não desistirem de dar comida de verdade para seus bebês e crianças!

Beijos da Cris

Anúncios

5 comentários sobre “Sobre

  1. Jean Lafond disse:

    Suas receitas são muito boas e enaltecem muito uma culinária de verdade, principalmente para os nossos pequenos.
    Porém devo relatar que fazes uma associação não muito legal com com comida de verdade e receitas SEM GLÚTEN e SEM LACTOSE.
    Enalteço diferente do açúcar que é obtido somente por meio de um refinamento da cana de açúcar a lactose e o glúten estão presentem na natureza e não devem ser pejorados da forma como estão sendo (pelo menos essa é a impressão)
    Hoje está mais que fundamentado que as alergias em crianças surgem mais pela alimentação exposta à mãe durante a gravidez e em bebes de até 2 anos pelo consumo exagerado de alimentos ultra processados do que necessariamente pelo consumo de uma receita que leve glúten.
    Um bebê que faça resposta alergênica ao glúten ou as proteínas do Leite, não é necessariamente porque ele consome produtos com glúten ou leite, tendo normalmente fatores genéticos de predisposição muito mais envolvidos do que o consumo destes.
    Portanto, uma alimentação equilibrada e que seja o mais caseira e sem a quantidade de ultra processados que hoje temos seria a melhor fórmula.

    Curtir

    • Cristiane Soethe Zimmermann disse:

      Jean, muito obrigada pelos comentários. Suas observações são muito pertinentes. Eu tento mesclar algumas opções de receitas sem glúten e sem lactose com as outras. Quanto à lactose, segundo orientações da pediatra e da nutricionista do meu filho, ela não é indicada para bebês com menos de um ano. Então, dou algumas opções para as mães com filhos menores. Quanto ao glúten, eu tenho um familiar com sensibilidade ao glúten, por isso também estou acostumada a criar alguns pratos desse tipo e quero dar uma opção para as mães e pais que precisam inventar pratos novos para crianças sensíveis. Concordo com você que o equilíbrio é a chave de tudo e quanto menos processados os alimentos, melhor! Muito obrigada pelo comentário!! Abraços.

      Curtir

  2. Kelly Pimentel disse:

    Gostei bastante do blog! Vc é de qual cidade?
    Sabe Cris, nossos filhos têm quase a mesma idade, e essa questão de não dar leite e derivados até um ano é bem cultural. Moro na França, e aqui as crianças são expostas a estes alimentos na fase da IA, desce os 6 meses… Mas é bom, Tbm, a gente variar né? Eu não tenho caso de alergia em casa, mas gosto de explorar outras farinhas, leites vegetais… Vou testar suas receitas! Parecem deliciosas!
    Beijinho!

    Curtir

    • Zimmermann disse:

      Olá, Kelly, tudo bem? Que bom que você gostou! Sou de Blumenau (SC). Pois é, eu li bastante sobre a introdução alimentar na França, inclusive imprimi o guia de alimentação infantil do governo daí e vi que os derivados de leite – principalmente os queijos – já fazem parte do cardápio desde cedo. Me inspirei bastante na alimentação francesa em alguns aspectos e adoro os sites de receitas para crianças daí. Certamente, faz parte de uma questão cultural também. Até um ano eu realmente evitei o leite por recomendação médica, mas depois disso o Otto já começou a comer todo tipo de queijo. Obrigada pela mensagem! Beijos!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s