Gelatina de morango com kefir

gelatina morango

Eu evito ao máximo consumir ou oferecer ao Otto alimentos industrializados. Mas, às vezes, abro algumas excessões. A gelatina Minha Gelatina, da Dr. Oetker é uma delas. Aqui misturei com kefir. É só preparar a gelatina com 250 ml de água quente, esperar esfriar e misturar com a mesma quantidade de kefir. Levar à geladeira até ficar firme. Fica uma delícia. Até quem não está acostumado com kefir gosta. Essa gelatina é produzida com corantes naturais e enriquecida com polpa de frutas e verduras. Tem açúcar, mas pelo menos não é refinado.

Mousse/sorvete de abacate com chocolate

creme de chocolate e abacate

Gente, olhem isso! Vi uma receita hoje no IG @itsrealfood e não resisti! Me inspirei nela e fiz algumas adaptações para fazer essa mousse/sorvete de chocolate. Vou passar para vocês minha versão: 100 gramas de chocolate amargo (70%, usei um pouco menos de 100 gramas na verdade e ficou muito bom), 1 abacate maduro, 2 bananas maduras, suco de uma laranja, 1/4 de xícara de amêndoas. Bati tudo no liquidificador, menos o chocolate. Este eu derreti em banho maria e depois bati com a mistura anterior. Levei ao freezer por cerca de uma hora e pronto! No freezer ele vai ficar com uma consistência de sorvete, se deixar na geladeira vai ficar como uma mousse. Para decorar joguei umas amêndoas picadas por cima. 

Goulash com mandioca

IMGP0182

Esse prato nada mais é que uma versão do clássico Goulash (aquele cozido húngaro, super típico aqui na minha região) com aipim/mandioca. Fica uma delícia. O aipim engrossa bem o caldo, fica super cremoso!

Ingredientes:

500 gramas de músculo

1 tomate

um pedacinho de gengibre

um pedacinho de casca de limão ou laranja

1 colher de extrato de tomate

uma cebola

uma folha de louro

uma cenoura

1 dente de alho

tomilho a gosto

páprica a gosto

sal a gosto

4 a 5 pedaços de aipim/mandioca

 

Modo de preparo:

Selar a carne com um fio de azeite, colocando também na panela a casca de limão e o gengibre (ambos serão descartados depois). Acrescentar o alho e a cebola. Depois, acrescentar o tomate picado sem casca e sem semente e o extrato de tomate. Cobrir com água. Acrescentar o louro. Deixar cozinhar em fogo médio/baixo por mais ou menos uma hora, até a carne ficar bem macia. Descartar, o louro, a casca de limão e o gengibre. Acrescentar a cenoura, o aipim e os temperos (tomilho, páprica, sal).

Deixar cozinhar até a cenoura e o aipim ficarem macios.

 

Papinha de tapioca e cenoura

IMGP1565

 

 

 

 

 

Tem muita gente que me pede receitas de papinhas para os bebês menores e, como eu já passei dessa fase, acabo não conseguindo postar muita coisa específica para a introdução alimentar. Mas, essa receita é ótima opção para a introdução alimentar ou para os bebês que ainda estão na fase da papinha. Confesso que não agradou muito ao paladar do Otto porque ele não está mais acostumado com essa textura nos alimentos. Mas eu achei bem saboroso para oferecer aos menores. É possível fazer tanto com o leite (para quem já está liberado para consumir) quanto com a fórmula infantil. Só que algumas fórmulas não podem ser fervidas. Então, deve-se ficar atento a este detalhe. Neste caso, sugiro substituir a quantidade de leite por água e depois de fervida com a tapioca, acrescentar o pó da fórmula.

Ingredientes

2 colheres de sopa de tapioca (aquele preparo para tapioca que compramos no supermercado)

200 ml de leite ou fórmula infantil

2 cenouras

1 tomate pequeno ou uns 6 tomates cereja

uma pitada  de páprica, curry ou açafrão para dar uma corzinha

Modo de preparo

Cozinhe as cenouras até ficarem macias. Reserve. Leve ao fogo o leite ou a fórmula (veja acima meus comentários sobre a fórmula) e a tapioca. Mexa sempre até engrossar. Coloque esse “mingau” no liquidificador junto com as cenouras cozidas e o tomate. Eu usei uma pitada de sal, mas esse prato fica no limite entre o doce e o salgado, em razão do dulçor da cenoura. Então, fica a seu critério usar ou não o sal. Usei também uma pitada de curry. Bater tudo no liquidificador e servir.

 

 

 

Creme de batata salsa com folhas e talos de brócolis

IMGP0094

Lembram que outro dia eu estava querendo usar as folhas e talos de brócolis e fiz esse suflê aqui? Então, acabou sobrando um pouco de folhas e talos e aí resolvi inventar esse creme. Ficou super saboroso e é bem fácil de fazer. Da primeira vez em que ofereci para o Otto ele não gostou muito, mas foi porque ele estranhou a consistência. As folhas e os talos não ficaram bem macios e acabaram não desmanchando bem no liquidificador. Então, eu peneirei e ele comeu tudo depois.

Ingredientes:

Cerca de 2 xícara de talos e folhas de brócolis picadinhos
1 alho poró
1/2 cebola picadinha
1 dente de alho
2 xícaras de leite
4 batatas salsa (mandioquinha) pequenas
cheiro verde a gosto
1 colher de sopa de óleo de coco

Modo de preparo:

Refogue no óleo de coco o alho, a cebola, o alho poró e acrescente o brócolis. Acrescente o leite e deixe cozinhar até que os talos e folhas de brócolis fiquem macios.

Em outra panela, cozinhe a batata salsa.

Depois de tudo cozido, leve ao liquidificador e bata até ficar homogêneo. Você pode bater o cheiro verde junto ou acrescentar depois.

Se quiser, pode acrescentar uma colher de sopa de nata no final.

Creme verde

IMGP8609

A primeira receita que vou postar aqui é um creme verde que o Otto adora! Eu inventei esse creme quando eu quis começar a apresentar diferentes tipos de cores na comida para ele. É super simples e bem gostoso!

Vamos lá:

Ingredientes:

1 pacote de ervilhas congeladas

1/2 maço de brócolis

agrião (a gosto)

4 filezinhos de frango (daquele tipo sassami)

meia xícara de aveia em flocos

Temperos para o cozimento do frango: alho e coentro.

Rende umas quatro a cinco porções.

Modo de preparo:

Eu começo cozinhando as ervilhas com água suficiente para cobri-las até ficarem macias. Ao mesmo tempo, em outra panela, coloco o frango para cozinhar com um dente de alho e um pouco de coentro. Depois de cozido o frango, tiro da panela, desfio e corto bem miudinho, amasso o dente de alho e misturo. Pode coar o caldo que ficou do cozimento do frango e cozinhar o brócolis neste caldo.

Depois, eu bato a ervilha cozida no liquidificador com o agrião. Quando o brócolis ainda está “al dente” eu misturo o frango picadinho e o creme de ervilhas com agrião, a aveia e deixo cozinhar mais um pouco até ficar cremoso. Uma dica é não colocar muita água para o cozimento do frango e, consequentemente, do brócolis, para não deixar o creme muito aguado. Se for preciso, descartar um pouco da água do brócolis. Não gosto de fazer isso porque neste líquido ficam as vitaminas, então prefiro usar pouca água.